Arquitetura “sustentável”

O tema sustentabilidade, pensado na sua totalidade, abrange aspectos socioeconômicos e ambientais , lançando desafios a pesquisa, a pratica e ao ensino da arquitetura .
A primeira definição de desenvolvimento sustentável foi cunhada pelo Brundtland Report em 1987, afirmando que o desenvolvimento sustentável , e aquele que atende as necessidades do presente sem comprometer o futuro .
No final da década de 80 as questões de sustentabilidade chegaram a arquitetura e do urbanismo internacional, trazendo novos paradigmas.
A sustentabilidade vem influenciando abordagem de projeto na arquitetura contemporânea e conta com iniciativas e exemplos nas diversas condições urbanas e ambientais. Extrapolando as questões de conforto ambiental e suas relações com eficiência energética, recursos para construção e operação de um edifício, materiais , energia e agua, fazem parte das variáveis que vem sendo exploradas .

Atualmente as propostas vem abordando as seguintes questões:
– Estruturas morfológicas compactas
– Adensamento populacional
– Transporte públicos
– Resíduos e reciclagem
– -energia e agua
– Diversidade e pluralidade sócio econômica, cultural e ambiental

Certificação de edifícios

Destaca-se a crescente importância de questões ambientais globais que tem motivado a apropriação de soluções tecnologias diferenciadas, os chamados indicadores de sustentabilidade introduzem mudanças metodológicas e praticas , integrando varias disciplinas interdependentes envolvidas na concepção e operação dos edifícios .
A certificação constitui-se em um sistema de avaliação no qual e quantificado o grau de sustentabilidade de um projeto .
A legislação brasileira ainda não contempla o que foi colocado aqui como conceitos e critérios para uma arquitetura sustentável. A legislação e os códigos de obra são muito mais normativos do que de fato direcionados para o desempenho.
A relação dos indicadores de sustentabilidade com uma serie de critérios de desempenho e a complexidade das avaliações pressupõe um processo de projeto apoiado por ferramentas de simulação computacional.
Em muitos casos, o projeto e a operação de edifícios aclamados como ícones de uma arquitetura sustentável são marcados por um alto grau de experimentação e complexidade . Por essa razão , uma investigação criteriosa a fim de testar a veracidade dessas propostas representa uma importante contribuição para elaboração de modelos futuros

Edifício e Ambiente construído

A cidade deve ser entendida dentro de um contexto regional, envolvendo clima, disponibilidade de recursos naturais e suas relações econômicas com outros centros urbanos próximos.
O objetivo maior de um edifício sustentável deve se fazer desse uma solução ambiental , social e economicamente viável . As noções de impacto ambiental não devem ser resumidas as questões de consumo de energia , e sim ampliadas para contextos locais e globais .
A verticalização das cidades podem causar efeitos climáticos adversos, resultando no comprometimento do desempenho ambiental e energético , tais critérios devem criar um equilíbrio entre as condições de adensamento para atingir as metas de economia de energia e racionalização do uso de recursos matérias e aquelas necessárias a manutenção e melhoria do ambiente externo, não existem modelo universal para resolver essa questão .
Que cidades queremos construir ?
A cidade deve ser planejada apara que os edifícios em conjunto tenham sua eficiência e desempenho otimizado . As intervenções urbanas que consideram os diversos sistemas que compõem as cidades guardam o potencial de uma transformação positiva do impacto da cidade sobre e meio natural e urbano.
Ha uma necessidade de uma redefinição do modelo urbano convencional de consumo dos mais variados recursos .
O funcionamento das cidades e definido como metabolismo urbano, como uma composição de 6 ciclos onde cada um tem suas características individuais :
– transporte
– energia
– agua
– resíduos
– microclima, paisagem natural e ecologia
– materiais, construções e edifícios
Devem ser estabelecidas metas para o consumo e origem de recursos segundo esta a definição para a escolha da tecnologia e a determinação da eficiência dos processos de consumo desse recursos .

A busca pela sustentabilidade vem ao encontro das seguintes metas :

a- preservação e liberação de áreas naturais pelos efeitos e vantagens da compacidade urbana
b- proximidade, diversidade e uso misto
c- maior eficiência energética pelos sistemas de transportes
d- microclimas urbanos mais favoráveis ao uso do espaço publico e ao desempenho ambiental das construções
e- edifícios ambientalmente conscientes
f- consumos consciente de recursos
g- reuso e reciclagem

Os principais objetivos de planos como esses são :
A- Otimizar o consumo de energia nos edifícios e nas cidades
B- Melhorar a qualidade ambiental da área como um todo
C- Conectar as áreas das cidades superando obstáculos físicos
D- Ocupar áreas degradadas , otimizando o uso da infra estrutura , disponível com base em parâmetros de densidade e uso misto.
E- Aumentar o valos ambiental e socioeconômico de uma área ou restaurar o seu valor inicial.

Reunimos alguns projetos com cunho sustentável , bem interessantes.

Renovação urbana em Seul

A ideia de revitalização do rio CHEONGGYCHOU, teve como função drenar o rio em uma cidade que se tornou super populosa que se fixou ao redor de um córrego, que foi coberto por concreto, ampliando o uso de transporte público, e como consequência reduziu em 3,6 graus a temperatura da cidade

No projeto foi pensado em adotar um sistema viário ( sentido norte-sul) na direção de escoamento natural das águas pluvial para o rio Tietê.
Pensamos em criar um sistema hidroviário visando o baixo custo em comparação com o transporte ferroviário e rodoviário, também pelo baixo custo de manutenção, a diminuição da circulação de transportes individuais nas vias e a grande capacidade de carga(pessoas).

Propor a conexão do sistema hidroviário com o sistema rodoviário de transporte publico. Uma via paralela a outra onde os transportes agem em conjunto, sendo assim um dependendo do outro. As estacoes teriam cerca de 1,5 km de distancia uma da outra, elas possuiriam 2 andares na qual o primeiro andar estaria sujeito a conexão das ruas e ao sistema hidroviário. E no segundo andar se encontraria os terminais de ônibus, com base no projeto já existente pela empresa TBS na China.
Este consiste em um ônibus que passa por cima dos carros e evita a formação de engarrafamentos.
Diminuição de 30% de trânsito, economia de 860 toneladas de combustível, redução de 2640 toneladas de emissão de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera.
Uma ideia inovadora e sustentável! O projeto tem o nome de Land Air Bus e utiliza de painéis solares e elétricos para se locomover. O ônibus alcança uma velocidade de 60 km/h, e conforme informações dos criadores do projeto, o veículo comporta 1200 pessoas em quatro vagões.
 
A criação possui seis metros de largura e quatro metros de altura, ocupa duas pistas e o custo para implementá-lo chega a ser até 10% mais barato do que a construção de metrôs. Até o momento ainda não existe a confirmação de que será implantado na China, mas o projeto é apresentado como o futuro das grandes cidades.

Demolição de 6 km de via suspensa

Em torno da área do parque a temperatura diminuiu 3,6 graus em relação ao resto da cidade.

Bairro Novo

O concurso Bairro Novo realizado em 2004 teve este projeto como vencedor de Dante Furlan, Euclides Oliveira e Carolina de Carvalho.

O uso de pilotis no andar térreo, integrando o ambiente, o uso de escadas em edifícios baixos criando maior integração entre os moradores, uso de elevadores tanto em edifícios comerciais, habitacionais e de serviços com sistemas inteligentes de elevadores, com antecipação de chamadas, dispondo ainda de sistemas de frenagem regenerativa, o que permite o elevador que estiver descendo forneça energia para o outro, que está subindo.

Segundo o Eldorado Business Tower, edifício que possui o certificado LEED , onde toda a água utilizada nas áreas comuns, tanto para irrigação de áreas verdes quanto para limpeza, provém de chuva reutilizada e condensação gerada pelo funcionamento do ar condicionado, que é o VRV III (volume de refrigeração variável) que possibilita baixo consumo de energia, permitindo que empresas locatárias ali sediadas paguem somente pelo que consomem. o que consiste em vantagem significativa frente aos dispêndios condominiais em edifícios similares não certificados. O sistema utiliza ainda gás refrigerante do tipo R-410 A, ecologicamente correto.
A água lançada na rede pública é também tratada para filtragem de particulados e todos os sanitários são dotados de medidores de água individualizados em cada andar, permitindo controle mais rigoroso do dispêndio do recurso.

O uso de lâmpadas e reatores despendem menos energia e todos os system as elétricos são divididos por segmento (há um sistema para os elevadores, outro para as bombas d´água e outro para cada setor do edifício) permitindo acompanhar qual o real consumo de energia de cada área.
Condomínios que organizem coletas seletivas do lixo, recolhido a um compartimento no térreo no qual os resíduos são triados. Criando uma regra condominial em vigência de que não será coletado o lixo do andar que não cumprir com a necessária seletividade.

Leave a comment