projeto de revitalização urbana

Os fundadores do escritório de arquitetura Piurch, Francesco Fresa e Germán Fuenmayor criaram um sistema modular, chamado “espaço”, que foi pensando para revitalizar áreas urbanos de grandes cidades. “Desde o início em 1996, pensamos que o desafio mais excitante enfretando pela arquitetura é, de fato, melhorar a forma como as pessoas vivem juntas”, explicam os arquitetos.

O conjunto de módulos busca converter áreas abandonado em áreas de convivência, que sirva como um ponto de encontro para os moradores de comunidades periféricas, estimulando a interação e a ocupação do espaço público. “Nosso desejo é estimular uma rede de espaços públicos espalhadas pela cidade, onde cada projeto tenha sua própria identidade e também um forte relacionamento com os demais”, explicam os arquitetos que apresentaram o primeiro sistema na Expo Revestir. Eles doaram o primeiro sistema para o CEU de Paraisópolis logo em seguida da Expo.

Esse projeto foi desenvolvido para a 11 ª Bienal de Arquitetura de São Paulo, ele é composto por peças geométricas inspiradas em ícones da cidade de São Paulo, como o desenho de Mirthes Dos Santos Pinto, que está presente nas calçadas da cidade e o concretismo de Helio Oiticica.

Os módulos são adaptáveis as necessidades da comunidade e podem ter as mais diversas funções, as vezes sendo uma bancada, mesa, vasos, totens com tomadas, entre muitas possibilidades. Os arquitetos explicam que a ideia era que esse elemento modular em formas geométricas tivesse diferentes alturas, que consequentemente, resulta em várias soluções.
O “espaço” foi desenvolvido especialmente para a cidade de São Paulo, ou seja, não deve ser reproduzido em nenhuma outra cidade do mundo. A dupla já está trabalhando em soluções urbanas semelhantes em Chicago e em Milão.

Leave a comment