“Moda é arquitetura: é uma questão de proporções.” – Coco Chanel

A sintonia entre moda e arquitetura está presente em diversos elementos: cores, formas, texturas, detalhes, e isso é notado desde o inicio do século. Nos anos 20, período conhecido como Belle Époque, a arquitetura e a moda eram marcadas pela graciosidade, exageros e pela valorização das curvas da Art Nouveau. Logo em seguida, veio a Art Decó, trazendo para a moda a geometria, inspirada principalmente na arte cubista.

Nos anos 50 e 60, Coco Chanel dizia buscar inspiração nas obras de Le Corbusier e da Bauhaus, ambas tinham como principal característica a simplicidade formal e as linhas retas. André Courrèges, outro estilista da época, inspirado no designer Joe Colombo, criava roupas feitas com materiais sintéticos e plástico. O estilista Emilio Pucci estampava não só roupas, mas móveis e peças de decoração.

Na década de 90 o minimalismo surgia, e com ele transformou-se os conceitos de “vestir” e “morar”. A simplicidade, leveza e sobriedade de cores tornaram-se marcantes na arquitetura e na moda.

 


No período atual, há tanta liberdade de expressão, que o ponto mais forte de convergência entre esses dois mundos é a individualidade que é permitida haver. Cada casa ou espaço pode ser criado de diversas maneiras, cada uma delas, tornando aquele um local único, e o mesmo acontece com a moda, onde é possível que uma mesma peça tenha incontáveis combinações, tudo dependendo do estilo de que mora ou veste.

 

Leave a comment