Joaquim Guedes

Joaquim Geudes foi um arquiteto urbanista formado em 1954 pela FAU – USP na terceira turma do curso e foi um expoente da chamada “escola paulistana”. Joaquim teve uma grande parceria com sua esposa, Liliana Marsicano, com quem fez uma série de projetos até 1974.

Recebeu grande influência direta de seus professores Icaro de Castro Mello e Vilanova Artigas. Trabalhou também com nomes importantes da arquitetura nacional, como Carlos Millan, Flavio Império, Hector Vigliecca e Sergio Ferro.

Guedes em 1960, criou uma série de equipes multidisciplinares vinculadas a programas governamentais, como a Comissão Nacional de Habitação, em 1961, articulada pelo Ministério do Trabalho na gestão de João Goulart, e a Comissão do Habitat, vinculada à União Internacional dos Arquitetos (UIA), em 1963.

Foi também, professor de projeto e tecnologia na FAU-USP, onde se formou e fundador de um escritório de urbanismo, o Stam (Serviços Técnicos de Assistência aos Municípios), que elaborou uma proposta para o plano Piloto para Brasília em 1957.

Mesmo tento um amplo campo de atuação, uma de suas principais contribuições para a arquitetura brasileira, são as casas que projetou. Muitas delas foram projetadas em parceria com Liliana Marsicano.

“Fazer cidade, hoje, significa assumir a nossa parte no desenho dos novos conteúdos da sociedade urbana, de suas soluções internas, das atividades que definirá para si mesma, compreendendo a partilha de recursos que destinará à consecução de seus objetivos, na definição das estruturas físicas necessárias, no dimensionamento e localização de seus locais de viver.
Assim, somos partícipes – há muito tempo – da construção da cidade nova, real e concreta, e por isso, brasileira. Brasileira não por idealismo ‘chauvinista’, ou persistências formais, mas por necessidade e realismo. Nossa missão é a de assumir o caráter coletivo e político da criação de uma nova estética que não poderá fundir-se em velhos conteúdos de refinamento tecnológico e formal. Ela deverá estar apoiada – com sensibilidade e rigor – na vida, atividades e movimentos das massas urbanas, nas revelações de seus pequenos interesses e acontecimentos cotidianos; pois os grandes interesses, provavelmente se farão ouvir com força.”
Joaquim Guedes.

Leave a comment