I.M. Pei

Na última quinta-feira, 16/05/2019, Ieoh Ming Pei, conhecido como I.M. Pei, faleceu aos 102 anos. O arquiteto chinês-americano, é indiscutivelmente um dos maiores nomes da arquitetura modernista.

Nascido em Suzhou, China, I.M Pei cresceu em Hong Kong e Shangai antes de se mudar para os Estados Unidos para estudar arquitetura. Quando recebeu sua licenciatura em 1940, Pei tinha planos de voltar para seu país de origem, mas teve que abandonar seus planos por conta da guerra chino-japonesa. Isso permitiu que descobrisse a Escola de Graduados em Projeto de Harvard, onde trabalhou com Walter Gropius e Marcel Breuer.

Pei fundou seu próprio escritório em 1955, I.M. Pei & Associates (mudando seu nome para Pei & Partners em 1966 e finalmente para Pei Cobb Freed & Partners em 1989). Nas suas seis décadas de trajetória, sem dúvidas sua obra mais conhecida é ampliação do vidro do Louvre em Paris. Quando Pei ganhou o Pritzker em 1983, o júri declarou que ele deu a este século alguns de seus mais belos espaços interiores e formas exteriores.

Em 1990, Pei aposentou-se da pratica arquitetônica em tempo integral, reduzindo progressivamente sua carga de trabalho nas décadas seguintes. Conhecido por sua arquitetura moderna e pelo uso de formas geométricas simples, como triângulos, círculos e quadrados. Pei rejeitou implicações do globalismo inerente ao “estilo internacional”, defendendo o desenvolvimento contextual e variações de estilos. Em uma viagem à China, ele pediu para os arquitetos chineses que olhassem mais à sua tradição arquitetônica, em vez de projetar em um estilo ocidental.

Leave a comment